GEO-ESTOCA-LIZAÇÃO E GEO-OFERTA-LIZAÇÃO

Nos últimos 10 anos, a pressão exercida pelo e-commerce em cima das lojas físicas foi acentuada após o ápice da pandemia. Grandes empresas como Amazon, Mercado Livre e Magalu, colocaram ainda mais pressão em cima do pequeno lojista, que por falta de recursos financeiros e humanos sofre mediante a necessidade de adaptação.

O diferencial das lojas de rua em relação ao e-commerce

“Geo” tem origem no grego e tem o significado de Terra, “oferta” Do Latim OFFERRE, “dar, oferecer”, formado por OB-, “a, para”, mais FERRE, “trazer, portar”. e “estoque” tem origem no inglês(stock), tem o significado “guardar para o futuro”, ou do Germânico STUKKAZ, “tronco de árvore”.

Empresas gigantescas investindo somas inimagináveis, como em compra de aviões com o objetivo exclusivo de diminuir o tempo de entrega, tornam o modelo de compra on line cada vez mais eficiente. Tais medidas acabam surpreendendo os consumidores com experiência de compras cada vez mais satisfatórias.

Mas de uma coisa não temos dúvida, no modelo de capital que avança, todo mundo que investe, em algum momento vai exigir retorno deste investimento.  E em algum momento, a balança preço x custos  cobrará seu preço. Portanto, colocar um tênis em um centro de distribuição, despachá-lo em um veículo, seja qual for o modal (aéreo, marítimo ou terrestre) e colocar na casa do consumidor, tem um custo, e alguém vai pagar esse preço.

Todo esse movimento, e a digitalização global, influenciaram o comportamento do ser humano. Seja nos hábitos do cotidiano, nos relacionamentos e certamente na forma do consumidor comprar produtos e serviços.

Experiência omnichannel passa a ser o grande diferencial

Se você for a uma loja que já opera em modelo omnichannel, pode se deparar com a seguinte situação: o produto exposto na loja, por exemplo um tênis, por R$ 899, a pronta entrega. Entretanto, o mesmo produto é vendido por preços menores on line. Detalhe, da mesma redes de lojas, por R$ 549 com frete incluso e entregue na casa do consumidor.

(CEO Giovani De Zorzi compartilha o surgimento da iniciativa e soluções omnichannel da Moderniza Group)

“…em 2017, eu estava no estande da Moderniza em uma edição da Couromoda, quando começaram a aparecer no estande,  lojistas desesperados, perguntando se nosso ERP possuía solução de e-commerce. Naquela data, já tínhamos uma plataforma de e-commerce integrada. Mas foram tantas as visitas, que em algum momento perguntei o que estava motivando esse questionamento. Quando me explicaram, que um americano havia dito em uma palestra do evento, que o varejo que não tivesse e-commerce, estava fadado a morte. No mesmo momento, indignado, sentei a frente do notebook e escrevi o artigo: o varejo de rua é imbatível por sua logística.

No início de 2018, resolvi visitar a NRF em Nova York para tentar entender melhor o que estava acontecendo. Retornei em 2019 e então vi uma solução que me chamou muito a atenção. O case da Nike 000 da Quinta Avenida. Na solução, conheci uma experiência onde o software se comportava de formas diferentes se o cliente estivesse dentro ou fora da empresa. Se o cliente está fora, é um e-commerce, se está dentro, um assistente de vendas com PDV e auto atendimento.”

Varejo de rua é imbatível por sua logística.
-De Zorzi, Giovani.

O que tem faltado, não apenas ao pequeno varejista de rua, mas aos grandes também, são ferramentas adequadas, desenvolvidas de acordo com essa nova economia mundial, onde se faz necessário uma estratégia de vendas baseada no que chamo agora de GEO-OFERTA-LIZAÇÃO. 

Vejamos que de um lado temos os ERPs, todos desenvolvidos para atender necessidades de lojas físicas, e de outro as plataformas de e-commerce, que em sua grande maioria, foram feitas para atender as necessidades de compras on-line, e adequadas a diferentes tipos de clientes, indústria, comércio, serviços, e as soluções omnichannel existentes até hoje, são fruto de integrações entre elas, que em algum momento entram em atrito, seja pela integração dos dados e das APIs, sejam pelos fundamentos nos quais foram desenvolvidas, cada qual com suas peculiaridades, pois foram pensadas para atender cada uma com sua finalidade específica, e não ao funcionamento de ambas juntas, integradas, que hoje, é uma só.

Voltando ao varejo de rua, ele está lá, próximo ao consumidor, com seu estoque disponível, mas não tem ferramentas para disponibilizar essa informação ao consumidor, que está em casa, confortavelmente, assistindo sua TV, ou escudando um podcast, tomando um vinho ou fazendo suas refeições ou mesmo afazeres domésticos, portanto o que falta a este varejista, são ferramentas adequadas para digitalizar seu negócio e disponibilizá-lo ao consumidor que está próximo, e ainda proporcionar uma experiência de compra sem atritos. Mas ainda assim, esse varejista, sozinho, terá dificuldade de ter presença em marketing digital, para competir com os gigantes anteriormente citados neste artigo.

Pois bem, se existe uma força disruptiva do e-commerce em relação a loja física, estaríamos aqui falando de uma disrupção da disrupção, e fico muito feliz em comunicar, que depois de muito conversar com lojistas, participar de feiras e eventos nacionais e internacionais, trabalhar duro, perseguir de forma quase que paranoica este novo cenário que se apresenta, que hoje já temos uma solução 100% aderente a esta nova realidade, pensado de acordo com o novo comportamento de compra do consumidor, onde o físico e o digital já é o mesmo, sem necessidade de integrações, e o lojista pode GEOFERTAR seus produtos, e o nome dessa solução é ModerShop.

ModerShop – Plataforma de gestão de loja física, e-commerce e Marketplace Regional

O Varejo Local é imbatível por sua logística, experiência e relacionamento com os clientes, mas precisa estar equipado com tecnologia, para tornar suas atividades ainda mais poderosas e blindar seu negócio de grandes competidores da internet.

Com ModerShop, o lojista gerencia todas suas atividades de loja física, englobando módulos fiscal, estoque, financeiro e vendas, incluindo PDV de loja física e vendas on line através de e-commerce e marketplaces mais reconhecidos do mercado, bem como, lojistas podem também organizar-se em comunidades, criando seus próprios marketplaces.

Através do ModerShop, a Lojistas podem criar seus próprio Marketplaces regionalizado, sejam eles por cidade, por bairro, por centros comerciais, por redes de lojas ou segmentos, fazendo a verdadeira transformação digital , com gestão, e ainda aumentando o fluxo da loja física, e tendo presença on line, tanto por ter um e-commerce nativo da loja física, como criando um Marketplace local, fazendo frente a outros grandes Marketplaces de mercado.

Através de suas entidades empresarias, os lojistas podem organizar-se de forma associativa, criando Marketplace regional, podendo divulgar em sua comunidade, através de ações conjuntas de marketing digital, ou mesmo marketing local, em suas vitrines, dentro das lojas ou mesmo por presença física regional.

Todas as lojas terão suas ofertas e estoques disponibilizados ao mercado local através de uma plataforma simples e intuitiva, e uma vez que o consumidor final tenha acesso ao Marketplace Regional, automaticamente terá acesso as ofertas dos lojistas locais, realizando compras, que podem ser retiradas na própria loja ou mesmo recebendo em casa.

  • organiza as vendas on line através dos segmentos;
  • incentiva o consumo local;
  • facilita o acesso que os consumidores acessem suas lojas preferidas;
  • permite o consumo 7 dias por semana 24 horas por dia, onde quer que o consumidor esteja, através do conceito “anytime anywhere”.

Conheça aqui o sistema online ModerShop! 

 

Deixe um comentário