UM FENÔMENO NO DESENVOLVIMENTO: Criatividade e inteligência é a nossa marca!

Hoje, você vai conhecer Natã Giertyas, desenvolvedor de software, que começou como estagiário no suporte e com dois meses de Moderniza já exercia atividades de desenvolvimento.

“Lembro como se fosse ontem, 16 de dezembro de 2019. Quando o Giovani e o Felipe me entrevistaram e disseram uma frase que marcou muito: ‘mesmo que não dê certo aqui, a sua carreira com certeza dará!’.”

“Eles acreditaram em mim e eu também acreditei” começa Natã ao compartilhar com essa escritora sua trajetória dentro da Moderniza Group.

Jovens talentos. O grande salto para o futuro!

O primeiro emprego é algo esperado por jovens atrás de uma colocação profissional. Do outro lado, as empresas buscam novos talentos. Com vontade de aprender e CRESCER.

Para a Moderniza, abrir as portas do mercado de trabalho para quem está iniciando a jornada profissional é uma maneira de incentivar o ganho de experiências, criatividade e inovação.

“E para o reconhecimento chegar por aqui, tudo que é preciso é muita força de vontade e aquele talento puro que cada um dos integrantes desse time tem”. Como conta a coordenadora administrativa do Grupo Moderniza (e responsável pelas rotinas de recursos humanos), Ariane Weber. Clique aqui para ler a matéria completa.

A trajetória de Natã dentro da Moderniza não foi diferente. Sendo essa sua segunda experiência profissional como estagiário, o “fenômeno do desenvolvimento” que com apenas dois meses de Moderniza já estava exercendo atividades no setor de desenvolvimento do Grupo.

“Minha primeira atividade de desenvolvimento foi como estagiário (2 meses). Com 6 meses de estágio fui efetivado para o suporte. E agora sigo preparado para novos desafios.”

Natã Giertyas, 21 anos, é apaixonado por tecnologia e um dos “orgulhos” do Grupo Moderniza. Ao se destacar cada vez mais em suas atividades, Natã mostra a que veio nessa entrevista divertida (e ping pong) entre humanas e exatas. Continue lendo:

Como foi começar a trabalhar na Moderniza, conta um pouquinho dessa “linha etária” pra gente?

“Entrei para a Moderniza em 2019. O Giovani e o Felipe fizeram a minha entrevista e também a minha integração com a equipe. Isso foi no final do ano, então já entrei sabendo que as férias daquele ano seriam diferentes (risos)”.

E como foi essa troca de responsabilidades? Das atividades que exercia como suporte para auxiliar o dev?

“Então, eu fiz uma ‘coisinha não prevista’ em uma atividade e foi me dada a tarefa de ‘consertar’ (risos). Acabou que eu terminei a tarefa e comecei a receber atividades de desenvolvimento e testes. Mas isso tudo sempre em conjunto com o suporte. A transição para o desenvolvimento acabou sendo muito natural”

“Foi aí que surgiram as lojas virtuais. Passei a me interessar mais por essa parte. E a Moderniza foi me proporcionando a oportunidade de focar nessa atividade que estava tão empolgado”.

Você sempre gostou de estudar novidades da área? Foi preciso estudar bastante para esse novo projeto, certo?

“Sim! Mas eu sempre gostei de estudar a tecnologia, ir atrás de novidades, fazer e criar novos projetos. Eu amo a tecnologia.”

Qual era a sua expectativa quando chegou na Moderniza?

“Eu tinha um objetivo em mente. Entrei com a cara e a coragem, eu sempre quis o desenvolvimento e fui trabalhando para isso com as oportunidades que me foram dadas.”

Qual você acredita que tenha sido seu maior desafio?

“Acredito que tenha sido dar treinamento presencial. Mas hoje já é mais tranquilo. Agora tem clientes que só querem falar comigo (risos), acabamos criando uma conexão, né? A Moderniza faz isso com a gente. Nos desafia!”

O que faz você se sentir bem trabalhando na Moderniza e sempre com essa vontade de criar novos projetos e inovações?

“Os novos talentos sempre são desafiados. É isso todos os dias. Nunca estou fazendo a mesma coisa. Outro ponto é a relação que temos com a empresa. Somos tratados como pessoas e essa relação mais ‘humana’ faz toda diferença”.

Deixe um comentário